Impressões de leitura#22: O peso do pássaro morto, Aline Bei

“As mulheres
abusadas nas trincheiras e
nos viadutos
não estão nos livros de história.
os ditadores sim
todos em itens
numa longa biografia.”


O peso do pássaro morto é o livro de estreia de Aline Bei. Narrado em primeira pessoa pela personagem principal, este romance em verso conta a história de uma mulher em vários momentos de sua vida: dos oito aos 52 anos.
A vida da protagonista, única personagem que carece de nome, é marcada desde a infância pela morte… Acompanhamos perdas irreparáveis que causam desassossego tanto na personagem principal quanto no leitor. Apesar da melancolia está presente na história do início ao fim, o livro me agradou muito, sobretudo a forma como foi escrito. A escritora conseguiu de uma maneira espontânea adequar a linguagem às diversas idades da personagem. Foi possível perceber claramente as diferenças nas falas e sentimentos da protagonista: aos oito anos ficou em evidência sua inocência; aos 17, ficou claro seu repúdio e raiva após um acontecimento violento; mais à frente, aos 37 anos, ao encontrar aquele que viria a ser o seu mais fiel amigo, ficou ainda mais claro o sentimento de comoção da protagonista…
Em nenhum momento a narrativa de Aline Bei soou ridícula ou afetada, além disso, adorei sua escrita poética que contém beleza e harmonia de uma forma completamente expressiva.
A diagramação também me agradou bastante porque remete à poesia, mas isso não dificulta a leitura, todo o contrário, faz com que a leitura aconteça com maior fluidez.
O peso do pássaro morto é um pequeno grande livro, que aborda tanto mortes e perdas como temas, quanto sentimentos de amor, carinho e cumplicidade.


Aline Bei

Eu gostei! Gostei mesmo. ❤️